Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Não há nada melhor #2

por Joana, em 01.04.15

Que pedir-te desculpa num abraço apertado antes de saíres. Poder respirar.

Está tudo bem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:32

Não há nada melhor #1

por Joana, em 31.03.15

large (5).jpg

Que saber que vamos estar na rotina a dois. Que o dia difícil melhora. Que um dia não vai ser só em férias de familia que temos casa e somos familia os dois. Que já lá vai a paixão mas há este amor bem bem melhor em que as rabugices matinais são premitidas e bem recebidas. Que sabe que os casais reais não dormem como nos filmes. Que na cozinha se põe a conversa em dia. Que apetecem beijos em dia mau e que os vou ter.

Que a tua sensibilidade percebe que tenho o mundo ao contrário por causa do meu cão,e a forma como o vejo através da tua voz do outro lado da linha cheia de amor aquece enquanto não chegas.

Saiu-me a sorte grande como hoje a minha avó me disse. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:57

Fim de Semana assim #1

por Joana, em 30.03.15

312af019f20e891da96388b1cc0a355f.jpg

tumblr_n8ziyuAudD1sxrrtuo1_400.gif

(imagens tumblr e pinterest)

Eu sei lá
Se eu vir você mais tarde
Eu vou até o dia clarear

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:29

 

Para o meu Homem de Barba.

17937604_eUWTr.png

 (imagem tumblr)

Os homens que me atraem não tem ar girinho, fininho, deslavadinho de olho claro. Também não têm corpos de hollywood e cabelos de sonho e feições vincadas e perfeitas; não são os super intelectuais de biblioteca, nem os artistas "de esquina", muito menos os "ah e tal tenho tanta pinta".

O meu ideal é moreno de cabelo revolto, tem braços fortes que me envolvem (não para proteger, isso faço eu bem, mas são braços que amam bem, que envolvem no silêncio sem ser preciso palavras). O meu ideal no masculino tem sempre sempre barba e olhos castanhos, é descontraído e saído de uma revistaKinfolk, ou dePortland, Oregon.

17937602_3a5mj.png

(imagens - Serge & Bacchus)

O meu Homem veio sem andar à procura e é tudo o que sonhei e idealizava no meu atractivo masculino. Tem a barba mais gira do meu mundo onde deslizo as mãos enquanto fixo os olhos castanhos. O meu Homem tem braços fortes e estrutura "de Homem" e nunca há abraços "fraquinhos e fininhos" naqueles braços envolvidos por uma plaid shirt e botas de lenhador.

Hoje numa conversa solta disse-me Ele que queria um kit de barba Serge & Bacchus, e eu babada levei a sério e disse que lhe oferecia. É que os Homens que cuidam deles mesmos em nada são menos Homens. Pelo contrário, merecem mimo como nós mulheres com cremes e loções {Então se for cuidar da pele e da barba...eu suspiro por este meu Homem que chegou sem contar tal e qual o meu imaginário masculino idealizava}

*Só não me venham com a pirosada da depilação masculina!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:17

São agora 8h28. Mas preciso das minhas manhãs calmas e com tempo. Não custou sair da cama. Custou ouvir o despertador às 7h30, mas quando o corpo soube que ia treinar e para a praia levantei-me feliz. Fiz papas de aveia em lume. Com whey de chocolate para suplementação e força física. Não conheço as pessoas.São amigos de uma amiga e andamos todos por um grupo no facebook entre receitas e treinos. 

Não sou de todo dada a encontros com quem está online. Mas curioso quando te vi na fnac e mexeste comigo era do online que te conhecia. Volto à minha máxima de que tudo acontece por uma razão, e sei que o treino veio para me dar força de alma e pessoas bonitas.

Ainda estou a pensar no que te disse ontem, vou voltar ao sitio onde me levaram tudo um dia, onde desisti de viver, onde recordo com amor as manhãs em que o despertador tocava pelas 6h00 para ir surfar, os gritos porque não davamos o litro, as forças todas que tive naquele mar.

Vou deixar no vento a dor no peito que não me larga desde ontem, porque o que é que se faz quando damos tanto de bom como tanto de mau no amor? E isto em extremos no concreto da nossa vida. Quando desiludimos, magoamos, somos incerteza, somos pesdadelo real. Quando deslumbramos, seduzimos, roubamos o coração de alguém e o amamos por inteiro, somos gargalhadas e divertimento puro, sexo, amor, olhos castanhos? 

Como é que se pode ser tudo de bom como de mau no amor, numa relação? Como é que se arruma em gavetas o passado? (fE Eu faço isto tão bem com tudo o que lá vai, mas contigo é tão dificil. Não me sabia capaz de amar assim. Não me sabia capaz de te magoar assim).

A areia vai fazer-me falar com as gavetas e descobrir. Sei. Conheço-a bem ainda apesar dos 10 anos longe.

Vou voltar de gavetas no sitio, fechadas, em paz. Sem negação. Apenas arrumadas para que tudo seja falado quando preciso. Sem negações da realidade que foi ou é. (Esse erro não volto a cometer! Custou-me a vida).

Amar e Amor vão voltar comigo soltos como grãos de areia e com a boa onda veranil.

"um dia eu vou ficar bem. só pra te querer mais...onde quer que eu andei. domingo é pra te dar paz"

 

Vamo nessa como se diz pelo Brasil - vou treinar meu bem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:27

Não existem por acasos.

por Joana, em 27.03.15

340059_tumblr_mtiahnsqdc1shi834o1_500.jpg

Cada vez mais acredito na mistica da união entre a vida humana e a natureza do universo.

Não foi por acaso que hoje em dia que é preciso deixar de lado as lágrimas e crises de ansiedade, em que o corpo pedia aulas de kickboxing ou yoga no youtube (dá-se sempre a volta à crise!), que surgem vagas para o treino de praia amanhã das 9h45 na praia ao pé de casa. 

Soube de imediato que a vida me estava a empurrar naquela direção. 

Quando nos deixamos levar pela vida, quando nos deixamos ouvi-la, descontraimos, e o caminho forma-se. Forma-se pelas nossas acções. Sempre. Mas não existem por acasos. Não há coincidências diz o cliché, que desfaço de cliché e torno frase minha.

Amanhã vou treinar para a praia. Vou suar o resto das lágrimas e saber-me bem e feliz.

E o corpo já sente por anticipação das boas a energia do dia que vai chegar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:36

Zé*

por Joana, em 27.03.15

Corro em volta de mim sem me encontrar...
Tudo oscila e se abate como espuma...
Um disco de ouro surge a voltear...
Fecho os meus olhos com pavor da bruma...

Que droga foi a que me inoculei?
Ópio d'inferno em vez de paraíso?...
Que sortilégio a mim próprio lancei?
Como é que em dor genial eu me eterizo?

Nem ópio nem morfina. O que me ardeu,
Foi alcool mais raro e penetrante:
É só de mim que eu ando delirante -
Manhã tão forte que me anoiteceu.

Mário de Sá-Carneiro, in 'Dispersão'

*hoje deixo que um poeta fale por mim. te diga em sonhos o que não te digo por cobardia de não saber lidar com a situação. porque estou frágil e choro-te.

Fica bem, fica seguro e livre desse travo. E rezo sem saber bem a quem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:35

Histórias de Amor.

por Joana, em 26.03.15

 

tumblr_n8brr0HlGY1qdjgwlo1_1280.jpg

Lembro-me do dia em que voltei a acreditar em histórias de amor. Não do dia exacto, ou mês. Mas lembro-me de cor do lugar, do sabor e do tempo que fazia. Sabias que ia correr para o meu sítio. Carcavelos-Oeiras pela estação, (para junto dos comboios), para me lembrar de ti inconscientemente. Precisava de chorar. Quando corro choro muito na meta pelo final dos 3 ou 5 km. Converso comigo durante cada passada, converso muito e conscientemente acabo em lágrimas. Lágrimas boas. São de desbafo, e os problemas soltam-se com leveza numa psicanálise auto-consciente. 

Nesse dia sem me dizeres nada foste ver-me correr. Lembro-me para sempre da meta. Nesse dia não trazia lágrimas pelo esforço físico que me dava a certeza de que tão cedo não iria conseguir correr por problemas de saúde a enfrentar de caras.

Naquela corrida, naquele sufoco, naquela tosse, naquela dor, naquele dia, tive-te a ti a correr em passo na minha direcção. Lembro-me que estava de phones e que nesse exacto momento a Mallu cantava - "Olha só moreno do cabelo enrroladinho" - cantava-te para mim. E foi tão de romance platónico de cinema, foi tão "és tudo o que preciso que fico bem", foi tão "amo-te, amo-te, amo-te, amo-te. para sempre".

Abracei-te com todo amor e força física, coloquei-te um dos phones para garantir que não estava a sonhar. Que a canção que estava a ouvir era mesmo aquela que de forma perfeitamente imperfeita encaixava em nós, no detalhe do momento, nos teus detalhes.

Chorei. E foi ali eternizado que nunca mais vou deixar de acreditar em histórias de amor. 

Fora da loucura da paixão que já largámos há muito, sabemos no nosso amor que o "para sempre" é algo imprevissivel e impossivel de jurar.(Tramada a vida não é?), mas como te digo ao ouvido ao vivo, ou por telefone quando estamos longe - Hoje és o meu para sempre. 

Hoje é tudo o que interessa, e que a vida se faça de uma coleção de hoje's. Cada um a seu dia.

Hoje's dos para sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 21:30


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D